PORTES GRÁTIS A PARTIR DE 29€ PARA PORTUGAL CONTINENTAL E 50€ PARA AÇORES E MADEIRA

Greeenwashing

Escrito em 20 de dezembro de 2021

Greeenwashing

A sustentabilidade e o impacto positivo no meio ambiente são, atualmente, prioridades nos planos de negócios das empresas. E, se fosse verdade, seriam excelentes notícias!

No entanto, apesar da crescente preocupação ambiental dos consumidores na hora de adquirir um produto ou serviço, muitas dessas "prioridades" por parte das empresas não são preocupações verdadeiras. Muitas vezes, não passam de uma estratégia de marketing para atrair clientes e aproveitarem-se das suas preocupações com o meio ambiente para adquirirem os seus produtos ou serviços.

 

O que é o Greenwashing?

Em poucas palavras, e de forma resumida, o Greenwashing são alegações de marketing em que uma empresa, através de informações erradas e até fraudulentas, leva a crer que os seus produtos trazem benefícios ambientais. Ou seja, as empresas tentam vender falsa sustentabilidade, querem passar para o consumidor a ideia de que são mais "verdes" do que são na realidade e, mascaram os verdadeiros impactos ambientais da sua atividade. O consumidor é induzido a acreditar quando, na verdade, é fraude.

 

Tipos de Greenwashing?

Existem vários tipos de Greenwashing, e alguns são mais fáceis de serem "desmascarados" do que outros.

  • Quando é enfatizada uma questão ambeintal em detrimento de outra mais preocupante. Por exemplo, o fabrico de papel não é necessariamente ecológico só porque veio de uma floresta colhida de forma sustentável;
  • Quando se utilizam aspetos visuais, nomeadamente a cor verde, para dar a ideia (errada) de que o produto é ecológico. Este é o tipo mais frequente e talvez o mais fácil de identificar. Muitas marcas que vendem alimentos e bebidas já mudaram o seu logotipo para a cor verde;
  • Quando uma empresa lança um único produto ecológico e toda a sua comunicação se centra nesse produto. Neste caso, a empresa leva a crer que é eco-friendly quando é apenas de forma parcial;
  • Quando se refere que um produto é 100% Natural. Relembrando o que significa Natural, "Produtos naturais são todos os que provém diretamente da Natureza". Isto quer dizer que, esse produto pode conter, por exemplo, elementos como mercúrio ou urânio, que sendo naturais não são "verdes" nem bons para a nossa saúde;
  • Quando uma marca cosmética enaltece o facto de um produto ser cruelty-free, como algo que a diferencia, quando é proibido testar em animais na UE desde 2009;
  • Quando são utilizados certificações ou rótulos falsos;
  • Quando existe omissão de informação importante. Por exemplo, nas coleções de roupa sustentáveis em marcas de Fast Fashion, o algodão aparece muitas vezes definido como "responsável" ou "ecológico", mas poucas vezes aparece como orgânico e acompanhado das devidas certificações.

 

O que podes fazer para não caires no Greenwashing?

Cada vez mais, os consumidores tentam contribuir de forma positiva e minimizar o impacto ambiental das suas escolhas, mesmo que para isso tenham que optar por produtos mais caros.

No entanto, também é verdade que as empresas que não têm nas suas verdadeiras prioridades a sustentabilidade e o meio ambiente são punidas pelos consumidores. Aqui, entra o Greenwashing.

Todos precisamos de estar muito atentos. Por vezes é dificil mas mantermo-nos informados sobre as certificações existentes, ler os rótulos dos produtos e conhecer as marcas (convém que sejam responsáveis e transparentes) é meio caminho andado para sabermos se estamos a cair no greenwashing ou não.

 

Fontes:

https://earth.org/what-is-greenwashing/

http://faculty.wwu.edu/dunnc3/rprnts.TheSinsofGreenwashing2010.pdf


×