PORTES GRÁTIS A PARTIR DE 29€ PARA PORTUGAL CONTINENTAL E 60€ PARA AÇORES E MADEIRA

O que não deves deitar na sanita

Escrito em 14 de março de 2022

O que não deves deitar na sanita

Sabias que 30% de toda a água que consumimos em casa é utilizada nas descargas do autoclismo? E, se já achamos um desperdício utilizar água limpa e própria para consumo no autoclismo, ainda te dizemos que muitas destas descargas acontecem porque deitamos muitas coisas na sanita que deveriam ir para os depósitos corretos.

Infelizmente é um hábito de muitos de nós e se o fazemos, por vezes, não pensamos se é o mais correto ou não. No entanto, para além do gasto de água desnecessário, podemos estar a contribuir para o entupimento e degradação das infraestruturas da rede pública de saneamento e a dificultar o processo de tratamento das águas residuais, que são essenciais para garantir que os efluentes são devolvidos de forma ambientalmente correta.

Assim, vamos começar por te explicar, de forma resumida, o percurso da água que sai das nossas sanitas.

Para onde vão essas águas?

Depois de utilizadas, as águas resíduais são transportadas até às Estações de Tratamento de Águas Resíduais (ETARs), onde são tratadas e devolvidas aos rios e mares, já em condições ditas ambientalmente seguras e sem comprometer os ecossistemas.

O que colocamos na sanita não desaparece quando descarregamos o autoclismo e, por vezes, tem um longo caminho a percorrer até chegarem à ETAR. Quando entram na Estação, estas águas são filtradas, passando por filtros de vários tamanhos, para que se possam remover os objetos que não se degradaram. Mas atenção, nem todos os objetos que colocamos na sanita conseguem ser removidos desta forma devido às suas pequenas dimensões! Muitos são removidos por decantação ou degradados por bactérias ou, em último caso, serão depositados na Natureza, junto com a água que sai da ETAR. Por outro lado, os objetos que foram filtrados, seguem para os aterros sanitários.

O que não devemos deitar pelo cano abaixo:

  • Restos de comida e óleo alimentar:

Se tivermos restos de comida mais líquida, como sopa, que queremos deitar fora, talvez o balde do lixo indiferenciado não seja a nossa opção, porque pode verter e cheirar mal. Mas deitar na sanita não é boa opção e o balde do lixo é o correto.

Já os óleos alimentares deitados na sanita irão contaminar a água e podem ficar agarrados à canalização, o que pode provocar a sua deterioração e trazer maus cheiros. Estes óleos podem ser guardados num recipiente que tenhas em casa e, quando estiver cheio, podes depositar em pontos de recolha, nos Óleões, onde podem ser transformados em combustivel, utilizados para fazer velas (podes ver as velas The Greatest Candle), ou utilizar em casa para fazeres os teus próprios sabonetes.

  • Sacos de plástico:

Os sacos plástico podem entupir canos e, para além disso, podem libertar microplásticos para a água. O ideal será colocar no ecoponto amarelo.

  • Pensos higiénicos, tampões e pensos rápidos:

Para além da possibilidade de entupir as canalizações, muitos objetos deste tipo, se forem filtrados nas ETARs, acabam por ir para o aterro sanitário. Portanto, o melhor seria colocar logo no lixo indiferenciado. Por outro lado, se queres utilizar opções mais ecológicas, opta por utilizar os pensos menstruais reutilizáveis, copo menstrual e os pensos rápidos biodegradáveis.

  • Fraldas:

Para além de não serem biodegradáveis, as fraldas têm um tamanho considerável e corre-se o risco de entupimento. O melhor será colocar no lixo indiferenciado ou optar por fraldas reutilizáveis.

  • Cotonetes e algodões desgradáveis:

Devido ao seu tamanho, os cotonetes não são filtrados nas ETARs e podem bloquear os equipamentos. Uma pequena percentagem é removida manualmente, mas a grande maioria é depositada nos rios e mares e esta é a razão que os cotonetes são dos objetos mais encontrados nas praias em Portugal!

A alternativa seria colocar no lixo indiferenciado, uma vez que no ecoponto poderão nunca vir a ser reciclados. O ideal seria evitar estes objetos e optar pelos Limpadores de Ouvidos.

Quanto ao algodão, para além de não se degradar, incha quando em contacto com a água, o que pode levar ao entupimento dos canos. Se quiseres optar por algo mais ecológico, podes pensar no Algodão Desmaquilhante Reutilizável.

  • Toalhitas, lenços de papel e papel de cozinha:

Todos estes tipos de papel são mais resistentes do que o papel higiénico, como tal não se degradam tão facilmente e corremos o risco de entupir a canalização. O melhor seria colocar no lixo indiferenciado e, se quiseres soluções mais ecológicas, podes substituir o papel de cozinha e toalhitas por panos velhos que tenhas em casa ou esponjas reutilizáveis e compostáveis, como as Luffas.

  • Cabelos:

Apesar de ser um hábito comum, se deitarmos os cabelos na sabita estes acumulam-se nos canos, correndo o risco de entupimento, uma vez que não se degradam e são bastante resistentes. Podem ser colocados no lixo indiferenciado.

  • Máscaras descartáveis:

Feitas de plástico, frequentemente chegam aos rios e mares, onde se degradam em microplásticos que entram na cadeia alimentar. Se esta for a opção, devem ser colocadas no lixo indiferenciado. A opção mais ecológica será optar por máscaras reutilizáveis.

  • Cigarros:

As beatas de cigarros são dos objetos mais encontrados nos esgotos, podem provocar entupimentos mas também são grandes poluidores das águas. O melhor será colocar no lixo indiferenciado (deitar na rua também não é boa opção).

  • Medicamentos:

Como possíveis contaminadores de água, os medicamentos são perigosos até para se deitar na sanita. Para além de que podem comprometer o tratamento da água. Se tens medicamentos que já não utilizas ou que estejam fora de prazo, deves entregar numa farmácia.

  • Fio dentário:

A grande maioria dos fios dentários são feitos de nylon, pelo que não são biodegradáveis. Apesar de terem dimensões muito pequenas, com o tempo podem bloquear o fluxo de água nos canos e até causar problemas nos filtros das ETARs. O melhor será colocar no lixo indiferenciado.

  • Lentes de contacto:

As lentes de contacto são feitas de um polímero que não se dissolve na água e que leva vários anos a decompor-se. Como têm densidade semelhante à da água, não são filtradas e a decantação também não resulta porque não se "afundam". Assim, acabam por ser descartadas na Natureza, juntando-se aos muitos microplásticos já existentes nos rios e oceanos. A melhor solução será descartar no lixo indiferenciado.

  • Preservativos:

Apesar do látex ser um produto natural não é biodegradável e é resistente e como tal não deve ser deitado na sanita. Para além de que pode entupir a canalização ou ir parar aos rios e mares. Não é um objeto que gostariam de ver na praia, pois não?

Fontes:

EPAL: Grupo Águas de Portugal

Vídeo: Sabe para onde vai a água depois de a utilizarmos?


×